Pular para o conteúdo principal

O que aprendi com minha parceira culinarista

Olá pessoal

Muito tempo que não escrevo. Estou sentindo o blog ligeiramente abandonado. Mas esses problemas acabaram. Com minha nova planilha superplus de organização, isso não vai mais acontecer rsrs.

Vim aqui contar um pouquinho da minha experiência semana passada. Sou de São Paulo, minha parceira culinarista Thais Ventura, do blog As delícias do Dudu é do Rio de Janeiro. Já demos workshops juntas, conversamos todos os dias, trocamos informações e receitas. Mas deu vontade de estender um pouco mais a parceria.

Fui passar uma semana no Rio para fazer consultorias junto com ela. Funcionava assim: batíamos papo, as intervenções ou orientações eram feitas, todos na cozinha, Thaís cozinhava, essa semana as mães recebm um robusto material sobre tudo isso. Deu super certo! Amamos a experiência.
E cada dia a gente aprende mais, não é mesmo? Fiquei de olho em tudo o tempo todo, e queria contar um pouquinho para vocês de uns segredinhos dela, que eu já conhecia, mas ver ao vivo seguidamente foi outra história...

Planeje-se e facilite sua vida: a Thais começou algumas consultorias batendo alho no processador. Simples não? Ela mesma já havia me recomendado diversas vezes para fazer meu tempero caseiro. Economiza tempo, tempo precioso! Descascar e cortar alho demora um pouco, usar o alho já processado do mercado não tem sabor nenhum. Segunda-feira, quando cheguei da viagem, fui correndo fazer meu alho processado. Outra coisa: ela picada e higienizava tudo antes de começar a cozinhar. Mais praticidade também.

Use seu truque para ajudar a descascar. Eu deixo de molho na água, tem gente que aquece no microondas...


Comprometa-se: Estávamos em Niterói, e a maioria das consultorias foi no Rio de Janeiro. A paulistana aqui levou a chuva, e já sabem né? Amargamos até 3 horas e meia de trânsito. Faltou tempo no final do dia. Mas, independente de tudo, na casa da Thais, ela é a responsável pela comida. E aí, dá-lhe fazer almoço para o dia seguinte às 23:00, sem reclamação nenhuma. Ao contrário, ela ficava mais satisfeita, sabendo que o Dudu comeria a comidinha mais fresca e saudável no dia seguinte, mesmo com sua ausência. Ela se comprometeu com a saúde da família, e isso não é um fardo, é um prazer. Falta de tempo? Nós trabalhamos, temos filhos, não temos empregadas (uma diarista ajuda de vez em quando) e se for pra deixar algo de lado, na correria do dia-a-dia, uma boa comida (responsável por grande parte da nossa saúde) não fica de lado. Nesse texto já escrevi sobre nosso dever de cozinhar ou garantir comida boa para nossos filhos

Acredite, não leva tanto tempo assim: a comida para todos, em sua casa, ficava pronta em 30, 40 minutos. Em duas horas e meia na cozinha das mamães, saiam diversos pratos (principal, acompanhamento, lanches). Se você se planejar o máximo possível (compras ok, determinando um dia, fazendo um cardápio - ou pedindo para alguém fazer pra você), você gastará menos tempo na cozinha do que no facebook. Acredite, eu vi acontecer! Nesse texto, já escrevi sobre dicas de praticidades para o dia-a-dia da cozinha, com congelados práticos e saudáveis

Em maio tem mais consultorias em conjunto, dessa vez, aqui em São Paulo! E depois no Rio novamente....
Olha como o trabalho foi legal, aqui nesse álbum.
Beijos e bom dia na cozinha ;)


Comentários

  1. Nossa Karine dava tudo para estar entre vocês nessa consultoria... papo incrível e muito aprendizado.
    Já falei sobre isso no meu blog, o comprometimento com a cozinha e a alimentação da família.(http://www.eueleeascriancas.com.br/2013/10/cozinhando-para-a-familia.html)
    Sou fã das duas
    beijos
    Lele

    ResponderExcluir
  2. Muito legal Karine!!!Tbém sou nutricionista, mas minha área é outra (esportiva) e nunca tinha ido a fundo sobre a alimentação dos pimpolhos!!!Depois de ser mãe (há 1 ano!!!) que comecei a me aprofundar, ler e cada dia me interesso mais!!!E como é gratificante ver aquele toquinho de gente crescer saudável, gostar da comidinha saudável e natural...parabéns pelo teu trabalho, pelo teu blog, confesso que virei sua fã (rsrsrsrsrs). Sucesso sempre!!!bjão Carol.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Karine!
    Quando serão as consultorias em SP? Como funcionam?
    Acompanho seu blog há algum tempo, mas nunca comentei (= leitora fantasma, rs). Tenho 1 bebê de 1 ano e 1 mês e dicas sempre são bem-vindas.
    Ah, sobre descascar alho, recentemente aprendi um truque ótimo. Desmonte a cabeça do alho (separe em dentes) e coloque tudo num Tupperware. Sacuda bastante o Tupperware e em poucos segundos os alhos estarão descascados! Os dentes "batem" no potinho e com o atrito as cascas se soltam.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Planejamento é tudo em qualquer área, se não quisermos perder o tempo que seria usado para outras coisas, é o mais sensato a fazer: planejar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente! A nutri adora conversar!

Pots mais lidos

Iogurte na alimentação das crianças

Bom dia pessoal!
Vou seguir uma indicação de uma leitora querida, Alethéia, e escrever sobre iogurte na alimentação das nossas crianças.
Eu sou superfã deste alimento! Rico em Cálcio (sempre estimulo consumo de alimentos ricos  neste micronutriente pois nossa população está bem carente....), tem a lactose (açúcar do leite) fermentada e por isso é de fácil digestão, rico em probióticos, as tais bactérias benéficas que equilibram nossa flora intestinal, fortalece o sistema imunológico e facilita o trânsito intestinal, entre outros benefícios.  O iogurte pode ser incluido na alimentação do bebê após o início da alimentação complementar, isso é, com 6 a 7 meses aproximadamente. Com algumas ressalvas e detalhes.
Detalhe número 1: O iogurte para dar para o bebê, necessariamente tem que ser natural e sem açúcar. Os petit suisses vendidos no mercados contém corantes, aromatizantes e conservantes, substâncias estranhas ao nosso organismo (nós nutricionistas chamamos estas substâncias de xenobiótic…

Sem açúcar, com afeto ou porque não dar açúcar ao bebê!

Sempre me perguntam, por quê não dar açúcar ao bebê? Ou então: posso dar açúcar orgânico, mascavo, produto adoçante?


O seguinte: a resposta inicial, todo mundo já sabe. Açúcar branco é caloria vazia, logo, não faz bem pra ninguém, dieteticamente falando. Essa caloria vazia pode ser traduzida em excesso de peso lá na frente - uma das doenças de mais difícil tratamento: a obesidade.
Mas tem um motivo mais profundo aí. Que eu vou explicar agora.
A necessidade de comer açúcar (alimentos doces) é do adulto. O bebê está provando tudo. Ele não sabe, por exemplo, que o suco de maracujá tem que ser adoçado. Sério. Ele vai aprender o que você mostrar a ele. Ele não sabe que a banana pode ficar melhor com açúcar. Ou não. A necessidade é nossa, não do bebê.
Só que, por natureza, o bebê já vem gostando de doce de fábrica. Ofereça açúcar, iogurte adoçado, chocolate, pirulito e geralmente você verá um bebê que vai comer e se lambuzar. A lactose do leite materno é levemente adocicada.
Por isso, não é um dos…

Alimentação para maiores de 1 ano!

Eba! Chegou o tão esperado aniversário de 1 ano do bebê. Depois da correria da festa, voltamos ao dia-a-dia do bebê. Com uma nova dúvida. E a alimentação? Aí, passamos no pediatra, e ele indica: agora mãe, ele deve comer a alimentação família. A mãe comemora (ou não). Não precisa mais fazer papinhas... Aí eu entro: alimentação da família? Tenho medo dessa frase... prefiro dizer que agora a família vai comer a alimentação do bebê com a textura adaptada! Sabe porquê? Como é a alimentação dos adultos em casa? Você, mãe zelosa, vinha fazendo a alimentação perfeitinha, com todos os grupos alimentares e tal...como passou do primeiro ano, só arroz, feijão e carne é suficiente? Calma! Nada contra o arroz e o feijão, pelo contrário. Dupla fantástica, garante um prato quase completo. Lembra desse post? Quase completo por que o legume e/ou a verdurinha precisa acompanhar o prato. Como faziam na época da papinha. Portanto, a alimentação continuará com todos os grupos alimentares... fonte de carboidra…